Boko Haram persegue professores de Geografia na Nigéria

Boko Haram tem como alvos recentemente revelados, todos os professores da disciplina de geografia, em vista da sua campanha de terror contra a educação ocidental na Nigéria.

Os professores da disciplina têm agora um destino improvável, porque suas lições vão em directa contradição com a visão do Boko Haram de um mundo bizarro sobre como a Terra foi criada.

Boko Haram acredita que a Terra é plana, em vez de esférica, e que a precipitação é causada não por evaporação, mas pela vontade divina de Deus.

Desta feita, os professores de geografia são classificados juntamente com chefes de segurança nigerianas e políticos de alto nível como os principais candidatos para o assassinato na lista do Boko Haram.

As ameaças à geógrafos são descritos num longo novo relatório da Human Rights Watch, que põe a nu o impacto devastador causado pelo Boko Haram no sistema escolar da Nigéria.

O relatório diz que um total de 600 funcionários da escola têm sido assassinado por Boko Haram desde 2009, e que 19.000 tenham deixado seus postos de trabalho devido a ameaças e ataques.

“Insurgentes Boko Haram têm mostrado especial aversão por determinados temas como geografia.”

O relatório diz que, em Borno, que é o principal reduto do Boko Haram, a escolaridade em 22 das 27 áreas do governo local foram fechados, privando centenas de milhares de crianças do direito de aprender.

“Em sua cruzada brutal contra a educação de estilo ocidental, Boko Haram está roubando toda uma geração de crianças no nordeste da Nigéria da sua educação”, disse Mausi Segun, pesquisador Nigéria da Human Rights Watch.

O relatório ainda conta: “insurgentes Boko Haram têm mostrado especial aversão por determinados temas como geografia e ciências … Os professores destas disciplinas são o alvo.”

Um desses ataques teve lugar na Escola Secundária Dia Mafoni na capital regional de Borno, Maiduguri, em setembro de 2012, quando homens armados irromperram as aulas e “fixaram os olhos” no professor geografia, Malam Anjili Mala.

Uma testemunha, cujo nome não foi divulgado, disse à Human Rights Watch: “Eu mergulhei para a proteção, mas os atiradores simplesmente dispararam seis balas no professor e calmamente foram-se embora. Ninguém mais foi tocado.”.

Os princípios da Geografia contradizem a ciência social dos ensinamentos excêntricos do falecido fundador do Boko Haram, Mohammed Yusuf, que foi morto por polícia nigeriana em 2009.

Em uma entrevista com a BBC na qual ele afirma que a educação ocidental é contrária aos valores do Islã, ele disse: “Nós acreditamos que a chuva é uma criação de Deus, em vez de uma evaporação causada pelo Sol que se condensa e se torna chuva.”

Ele também disse que rejeitou darwinismo e da ideia de que o “mundo era uma esfera”, que ele alegou correu “contrário aos ensinamentos de Alá”.

Lembre-se que actualmente faz 2 anos que o Boko Haram estão sob posse de mais de 200 raparigas sequestradas pelo grupo.

The remains of the school in Chibok where more than 200 schoolgirls were kidnapped in 2014
Os restos da escola em Chibok onde mais de 200 estudantes foram sequestrados em 2014

Actualmente muitos vivem agora em campos de refugiados, onde a educação é limitada a algumas horas de aulas por dia em salas de aula improvisadas sob árvores.

Enquanto o governo nigeriano tem feito progressos contra a Boko Haram nos últimos 18 meses, privando o grupo de maior parte do território.

Fonte: Telegraph

Comente aqui pelo Facebook

Add a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Inline
Inline