Bomba MOAB dos EUA matou ao menos 36 membros do Estado Islâmico, diz Afeganistão

O governo do Afeganistão confirmou nesta sexta-feira (14) que a bomba lançada pelo exército dos Estados Unidos na quinta-feira (13) matou pelo menos 36 integrantes do Estado Islâmico.

O artefato MOAB (Massive Ordnance Air Blast) GBU-43, também conhecido como “mãe de todas as bombas” (“Mother Of All Bombs”, em inglês), atingiu estruturas controladas por um grupo extremista na província de Nangarhar, localizada na fronteira com o Paquistão.

Para analistas da imprensa norte-americana, o ataque no Afeganistão pode ter ajudado o presidente Donald Trump a demonstrar o poder militar à Coreia do Norte. No entanto, o efeito divide opiniões nos EUA.

EUA usou a MOAB pela primeira vez no Afeganistão a maior bomba não nuclear existente

O jornal “USA Today” afirmou que, no curto prazo, o lançamento da bomba e o ataque na Síria podem aumentar a popularidade de Trump. O artigo, no entanto, afirma que é impossível prever qual seria a reação do republicano caso as tensões aumentem tanto na Síria quanto na Coreia do Norte.

Não houve registro de civis atingidos pelo lançamento da MOAB GBU-43, a bomba não-nuclear mais potente dos EUA. Ao comentar a missão, Trumpo disse que o recado sobre o alcance militar norte-americano está claro.

Quando questionado sobre a relação com a Coreia do Norte, afirmou que “todo mundo sabe que nós podemos resolver isso”. Segundo o jornal “Washington Post” afirmou que o governo norte-coreano acusou Trump de “criar problemas com suas opiniões “agressivas” no Twitter.

Comente aqui pelo Facebook

Tags:, ,

Add a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

error: Protegido contra cópias!!!
Inline
Inline