Dirigente da Renamo assassinado na cidade de Nampula

Um dirigente da Renamo foi assassinado ontem a tiro por desconhecidos na cidade de Nampula, norte de Moçambique, no segundo dia da trégua temporária declarada pelo maior partido de oposição, disse à Lusa o porta-voz da força política.

António Muchanga informou que José Naitela, membro da comissão política provincial e chefe da secção de relações exteriores em Nampula da Resistência Nacional Moçambicana (Renamo), foi assassinado ao início da tarde no seu carro num mercado negro de venda de combustível.

Contactado pela Lusa, o porta-voz da Polícia da República de Moçambique (PRM) em Nampula, Zacarias Nacute, confirmou o homicídio, que ocorreu entre as 12:00 e as 13:00 locais, num lugar movimentado da cidade.

O porta-voz da PRM desconhecia mais detalhes sobre o caso, referindo que as perícias de balística estão a decorrer e que a polícia vai investigar.

Segundo Muchanga, o crime foi cometido com “o mesmo modo de actuação” dos esquadrões da morte que a Renamo alega estarem a operar no centro e norte de Moçambique, visando a eliminação de dirigentes do partido de oposição.

“As informações que vêm do terreno indicam isso, a não ser que a polícia traga as pessoas que fizeram o crime”, disse o porta-voz da Renamo sobre a possibilidade de motivações políticas para o homicídio.

Muchanga não quis porém estabelecer uma relação entre o caso e a trégua de uma semana declarada pelo presidente da Renamo, Afonso Dhlakama, após uma conversa telefónica com o Presidente moçambicano, Filipe Nyusi, e que entrou em vigor às 0:00 de quarta-feira.

Lusa

Comente aqui pelo Facebook

Add a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Inline
Inline