Luísa Diogo pede confiança no sistema financeiro apesar do ‘stress” que se está a passar

A antiga Primeira-ministra e actual presidente do conselho de administração do Barclays Moçambique, Luísa Diogo, pediu hoje serenidade e confiança no sistema financeiro, numa fase de “stress” sem razão, porque o país tem reguladores experientes.

“Sente-se um certo ‘stress’ no sistema financeiro e temos de repor a confiança. E confiar também, como dirigentes de bancos, que o nosso regulador sabe muito bem o que está a fazer e que não estamos sozinhos neste processo”, disse à Lusa Luísa Diogo, à margem de uma conferência em Maputo promovida pela revista Exame e banco Barclays Moçambique.

Na Sexta-feira, o Banco de Moçambique (BM) determinou a dissolução e liquidação do Nosso Banco, detido pelo Instituto Nacional de Segurança Social, e que apresentava uma “situação inviável”, tendo sido accionado o Fundo de Garantia de Depósitos.

“Temos de atravessar este deserto com a devida serenidade porque o sistema financeiro é muito sensível às expectativas, às preocupações, aos comportamentos, às convicções e suspeições das pessoas”, recomendou Luísa Diogo.

A líder do Barclays Moçambique defendeu que, nesta fase, a comunicação do Governo e do regulador “é fundamental”, quer com os bancos comerciais quer com os depositantes.

“Aparecer, mostrar o rosto e dar uma abordagem oral a que nós, moçambicanos, estamos habituados é uma questão-chave para dar serenidade ao sistema, porque não há razão para o sistema ter o ‘stress’ que tem”, observou Luísa Diogo, insistindo na confiança nas instituições como “única via” para estabilizar o sector financeiro.

Ao contrário do Nosso Banco, que foi liquidado, o Moza foi intervencionado pelo BM e está a ser preparado para venda.

Fonte: SAPO MZ

Comente aqui pelo Facebook

Add a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Inline
Inline