O ministro da Defesa da Costa do Marfim (Côte d’Ivoire), Alain Richard Donwahi, foi capturado, sábado, por soldados amotinados que rejeitam os termos do acordo sobre melhorias salariais anunciado pelo presidente, Alassane Ouattara.

Logo depois que o presidente anunciou o acordo, os militares, enfurecidos, impediram que o ministro da Defesa e sua delegação deixassem a residência do vice-governador, atirando com armas pesadas, segundo um correspondente da AFP.

Ouattara havia anunciado um acordo com os soldados rebelados, cujas manifestações por aumento salarial paralisaram Bouaké, segunda maior cidade do país, sexta-feira.

“Confirmo o meu aval para que sejam levadas em conta as reivindicações relacionadas aos bónus e à melhoria das condições de vida dos soldados”, armou Ouattara num breve pronunciamento na televisão.

“Uma vez declarado meu aval, peço a todos os soldados que retornem a seus quartéis, para permitir que sejam colocadas em prática com calma estas decisões”, acrescentou, sem divulgar detalhes sobre o acordo.

O presidente tem que dizer quando irá nos pagar, e com que quantia“, criticou um soldado.
Os militares exigem o pagamento de bónus, aumentos salariais, promoções mais rápidas e melhores condições de residência.

O acordo foi fechado após uma reunião entre o ministro da Defesa, Alain Richard Donwahi, e uma delegação de soldados amotinados em Bouaké.

Comente aqui pelo Facebook

DEIXE UMA RESPOSTA