Rebelião em Cadeia termina com 60 presidiários mortos, alguns foram decapitados em Manaus

Uma rebelião no maior presídio do Amazonas, que durou mais de 17 horas, deixou ate agora, ao menos, 60 prisioneiros mortos, segundo a SSP (Segurança Pública do Estado). Entre as vítimas, segundo as primeiras informações, há decapitados. O motim começou na tarde deste domingo, no Compaj (Complexo Penitenciário Anísio Jobim), localizado no km 8 da BR-174, em Manaus.

Dos reféns no Compaj, 74 eram detentos e outros 12 funcionários da Umanizzare, empresa de gestão privada que presta serviço no complexo. Os funcionários foram liberados, na manhã desta segunda (2), sem ferimentos.

Ainda não foi informado quantos detentos ficaram feridos. Além da rebelião, 87 presos fugiram de outra unidade prisional horas antes.

O número de mortos ainda não é definitivo porque a revista no Compaj não foi concluída e, no final da tarde desta segunda-feira, informações mais precisas serão divulgadas.

A prioridade do governo é retomar a ordem do sistema prisional e recapturar os presos que fugiram.

Comente aqui pelo Facebook

Add a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Inline
Inline